UNIDOS A DEUS GLORIAMO-NOS TAMBÉM NAS TRIBULAÇÕES

Que felicidade poder ter Deus dentro de nós! Ele é o sumo bem que pode dinamizar perfeitamente todas as nossas potências, porque nele estão contidas todas as perfeições e todos os recursos aptos a preencher cada coração, conforme suas próprias exigências. Na Sagrada Escritura, Ele se apresenta como “o maná escondido” (Ap 2,17) e afirma: “põe no Senhor tuas delícias e ele te dará o que teu coração pede” (Sl 37,4).

Até as tribulações desta vida, mesmo que pareçam colocar um dique ao livre curso das consolações celestes, na realidade, não fazem senão reuni-las em quantidade ainda maior, multiplicando-as como uma impetuosa cheia e acabando por fazê-las transbordar. Por isso, “nós nos ufanamos também de nossas tribulações”, acrescenta S. Paulo, em nome do todos os justos, sabendo que a tribulação gera a constância, a constância leva a uma virtude provada, e a virtude provada desabrocha em esperança. E a esperança [– oh! Deus, que palavra sublime! –] não decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado (Rm 5,3-5).

E quem poderá desconfiar do seu amor? Entrega ao Senhor tua ansiedade, e ele te dará apoio”, diz o Salmista (Sl 55,23). Deus é sempre liberal diante das nossas necessidades, luz em nossas dúvidas, consolação em nossas aflições, repouso no cansaço, nosso sustento, nossa fortaleza e paz 1.

Pregações à juventude, n. 8: nosso coração feito templo de Deus, MS 580-582; PVC, p. 304-306

 


 


Protected by Copyscape