JEJUM DE JESUS

1 Então Jesus foi levado pelo Espírito para o deserto, para ser tentado pelo diabo. 2 Por quarenta dias e quarenta noites esteve jejuando. Depois teve fome. 3 Então, aproximando-se o tentador, disse-lhe : “Se és filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães”. 4 Mas Jesus respondeu : “Está escrito: Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus”. 5 Então o diabo o levou à Cidade Santa e o colocou sobre o pináculo do Templo 6 e disse-lhe: Se és Filho de Deus, atira-te para baixo, porque está escrito: Ele dará ordem a seus anjos a teu respeito, e eles te tomarão pelas mãos, para que  não tropeces em nenhuma pedra”. 7 Respondeu-lhe Jesus : “Também está escrito : Não tentarás ao Senhor teu Deus”. 8 Tornou o diabo a levá-lo , agora para um monte muito alto. E mostrou-lhe todos os reinos do mundo com o seu esplendor 9 e disse-lhe : “Tudo isto te darei, se, prostrado me adorares” 10 Aí Jesus lhe disse : “Vai-te, satanás, porque está escrito : Ao Senhor teu  Deus adorarás e só a ele prestarás culto”. 11 Com isso, o diabo o deixou. E os anjos de Deus se aproximaram e puseram-se a servi-Lo”. MATEUS 4,1-11.

Jesus foi levado ao deserto, não obrigado, nem preso, mas foi pelo desejo de combater. O demônio se aproxima do homem para tenta-lo, mas como o demônio não podia ir ao encontro do Senhor, Ele foi ao encontro do demônio. Jesus, o Eterno e Onipotente Deus, foi tentado por satanás,o príncipe das trevas, mas não curvou-Se diante dele.

Jesus foi tentado porque assim o quis,  por amor a nós e para a nossa instrução. Ele quis ensinar-nos, ao permitir ser tentado, como devemos lutar e vencer nas nossas tentações. E tendo Ele mesmo sofrido pela tentação, é então capaz de socorrer os que são tentados.

Jesus travou ali combate com o demônio a fim de nos mostrar que não devemos assustar diante das tentações diabólicas e não as ter como algo inesperado. Jesus quis ensinar-nos submetendo às tentações, que estas não são de temer, mas pelo contrário,podem ser ocasião de um progresso na vida interior. Jesus ao aceitar a luta com satanás, da qual Ele sai absolutamente vitorioso, mostra-nos que Ele veio libertar o mundo do domínio do Maligno e, ao mesmo tempo, merece para todo homem forças necessárias para vencer as insígnias diabólicas, isto para que também cada um de nós pudesse resistir pacientemente às maiores tentações e permanecêssemos vencedores.

Jesus se retira ao deserto para nos ensinar a abandonar a adulação do mundo e das más amizades, e a guardar em tudo os preceitos divinos. Foi tentado por quarenta dias e quarenta noites,pelo demônio, para nos mostrar que em todo o tempo quanto mais nos esforçarmos para servimos ao Senhor com fervor nesta vida... tanto mais seremos atacados pelo adversário infernal, que com a tentação, não cessa de por obstáculos em nosso caminho, assim como quis impedir a Cristo de cumprir a missão redentora.

É claro que o demônio não tentará a um e outro igualmente, pois ele conhece a cada um e sabe ofertar na melhor forma e precisamente aquilo  que ele bem sabe em que  o indivíduo cairá. Pois mal ele vê a oportunidade, e não demora muito em mostrar-nos como conseguir aquilo que queremos, porém,também  não oferta as suas vantagens de modo tão aberto, antes ele as envolve em mil invólucros com as artimanhas das quais ele é capaz. E muitas vezes damos a permissão para que ele assim faça ,especialmente se concordamos em sermos infiéis a nós mesmos,ou seja, a nos trairmos primeiramente e muitas vezes até a nossa fé.

Devemos pedir a Jesus que nos ajude a suportar as tentações do demônio com fé e coragem, que nos ajude a vencê-las, pois sem as tentações não poderemos entrar no reino dos céus.

Podemos até dizer : infeliz daquele que se acha dispensado das tentações. Pois não cresceremos nas virtudes e na santidade se não sofrermos desejos, perturbações e tentações e as suportarmos com paciência por Amor a Jesus Crucificado. O que precisamos é lutar com paciência e coragem contra o demônio, sem esmorecermos. sem desespero ou desanimo.

Deus permite as tentações para que reconheçamos as nossas debilidades e a necessidade que temos da ajuda de Deus para não cair. Ele também as permite para que cada um aprenda a viver desprendido das coisas materiais e deseje mais fervorosamente chegar a contemplação de Deus no Céu, Face a Face. E também para nos enriquecer de méritos.

Como no caso do Senhor, nunca nos faltará nas tentações a ajuda divina. Com efeito, quando a alma começa a ser agitada por tentações e se vê em perigo de cair no pecado, deve recorrer então a Deus , à Mão Divina, deve humilhar-se nos braços da Misericórdia divina, assim alcançará mais fortaleza e se unirá mais estreitamente a Deus. Contamos com a Graça de Deus para vencer qualquer tentação mas não podemos esquecer também das armas para vencermos estas batalhas espirituais e é mister recorrer também as armas usadas pelo próprio Jesus : penitência, oração e perfeita conformidade com a vontade do Pai. Vale lembrar que Jesus estará ao nosso lado,e em cada tentação, devemos nos apoiar NELE  porque sozinhos pouco conseguiremos.

Podemos e devemos prevenir as tentações também mediante a mortificação constante, a prática da caridade e a guarda dos sentidos internos e externos. Devemos também fugir das ocasiões de pecar, por pequenas que sejam, pois se amarmos o perigo , nele pereceremos. E juntamente com a mortificação, a oração : “Vigiai e orai para que não entreis em tentação.”

Combatemos também a tentação quando usados da sinceridade e franqueza ao expor as nossas tentações ao nosso Diretor Espiritual, Confessor ou Sacerdote, no Sacramento da Confissão - Penitência, pois expor as tentações é vencê-las. Através também da recepção da Santíssima Eucaristia e da devoção terna e filial à Santíssima Virgem Maria.

Jesus suportou a prova; uma prova verdadeira e como prêmio da Sua fidelidade; chegado o tempo, apresentam-se os mensageiros de Deus Pai para O servirem. Porque depois da tentação e da vitória contra o demônio, realizou a Salvação dos homens.

Nos tempos das dificuldades, perturbações e trevas devemos nos alegrar, delas sairá a virtude e a felicidade.

E como disse a escritura (Hb 1,14): “Os Anjos são enviados para servir àqueles que tomam a herança da salvação”, devemos encher-nos de ânimo nisto: que a Graça de Deus não nos faltará, pois Ele estará a nosso lado e nos enviará os Seus Anjos, para que sejam nossos companheiros de viagem, nossos prudentes conselheiros ao longo do caminho, nossos colaboradores em todos os empreendimentos.


Protected by Copyscape