AS SETE PALAVRAS DE JESUS NA CRUZ

1.   Jesus dizia: Pai perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. “Dividindo as suas vestes, sortearam-nas” (Lucas 23,34)

2.   E dizia a Jesus: “Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino. Jesus disse-lhe: Em verdade te digo: Hoje estarás comigo no paraíso” (Lucas 23,42-43)

3.   “Jesus vendo sua Mãe e junto Dela o discípulo que Ele amava, disse a Sua Mãe: Mulher, eis ai o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis ai tua Mãe. E, desta hora por diante, a levou o discípulo para sua casa” (João 19,26-27)

4.   Em seguida, sabendo Jesus que tudo estava consumado para se cumprir a Escritura, disse: “Tenho sede” (João 19,28)

5.   E à hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo... “Deus meu, Deus meu, porque me desamparaste?” (Marcos 15,34)

6.   Jesus, tendo tomado o vinagre, disse: Tudo está consumado. E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito. (João 19,30)

7.   Era então quase a hora sexta, e toda a terra ficou coberta de trevas até a hora nona; escureceu-se o sol e rasgou-se pelo meio o véu do templo. Jesus, exclamando em alta voz, disse: “Pai, nas tuas mãos encomendo o meu espírito”. Dizendo isto, expirou. (Lucas 23,44-46)

 

O Amor de Deus encarnado está pendido na Cruz!

Deus Se sacrifica à Deus, o Filho ao Pai.

A partir do primeiro instante da Sua presença como Homem, Ele  sofreu ao redor de Si, o pecado da dureza de coração, a ganância e a obstinação do povo judeu.

Ele pregou a volta à Deus Pai, Ele realizou milagres sobre milagres e despertou a esperança e a confiança em Deus através de uma Nova Aliança de Deus com o homem arrependido.

Ele, Jesus, viveu o amor diante de todos. E em troca, pagãos como judeus, pregaram-NO na Cruz! Mas nenhum é melhor que o outro, pois todos passaram unanimamente diante da Cruz, escarnecendo e fazendo troças à Jesus, enquanto Ele contorcia de dor.

Jesus 24 horas antes selou diante de Deus Pai a Nova Aliança de Deus com os homens, com Sua própria Carne e Sangue, pois Ele e o Pai são sempre UM com o Espírito.

Assim, agora apesar das dores terríveis, Ele pede para nós, como verdadeiro e Sumo Sacerdote, e também pela humanidade toda: “Pai, perdoai-lhes, porque não sabem o que fazem!

Mas o escárnio só se agravou ainda mais. Os homens viraram Suas palavras e as apresentaram de volta à Ele. Até o ladrão fez repreensões ao Senhor, dizendo que Ele sabia falar, mas não ajudar.

Os dois ladrões o Bom Deus os escolheu como imagem da humanidade. Os dois são pecadores, mas um permanece na obstinação, no mal do seu coração até o fim; o outro se vira ao Senhor e pede misericórdia. Desta forma, um é condenado, mas o outro recebe a promessa: “Ainda hoje tu estarás Comigo no Paraíso!”

Do ladrão o Senhor olha para Madalena que está embaixo da Cruz, deitada e chorando. Ela entendeu que o pecado trouxe o Senhor para a Cruz, sim também o teu, o meu, o nosso pecado. E o Senhor vê atrás de Madalena a corrente imensa, que não tem fim, dos pecadores de todos os séculos.

E tu homem que és membro da Nova Aliança de Deus com Seu povo, tens esta tarefa: Não deixar jamais que algum pecador permaneça caído, levantar cada um por causa do amor que perdoa de Jesus Cristo, ir atrás de cada um e facilitar para ele o caminho da volta e arrependimento. Jesus olha com olhos ardentes através de Madalena para as multidões intermináveis pelos quais Ele tanto espera, e foi para ti que Ele estando na Cruz disse: TENHO SEDE!

 


Protected by Copyscape